sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Para a Pilar, a meia leca mais linda que o Sol

A última vez que contigo festejei este dia fez hoje 3 anos, estavamos no Algarve, proporcionei-te ou pelo menos tentei o melhor dia que consegui.
Estavas contente e alegre com a tua téréré!
E se tu estavas contente eu também estava!
Fazes-me falta minha melga linda, PARABÉNS!
Não te vejo à mais de um ano e tenho muitas saudades tuas que tento guardar de forma desajeitada no meu coração e hoje permiti-me chorar e ficar triste com isso.
Chorei...
por não te puder abraçar
por não puder ver a tua alegria
por não puder estar contigo
por não ter conseguido falar contigo
Sei que não me esqueçes, sei também que se calhar quando fores grande guardarás de mim uma lembrança carinhosa, no entanto hoje eu só queria que fizesses parte da minha vida, que me sorrisses como tantas outras vezes fizeste!
Não me deixam , não me deixo!
Não impedem mas não facilitam!
Acabei por achar que talves fosse melhor assim
Mas para que nunca mas nunca duvides que estas sempre no meu coração minha meia leca cor de rosa mai linda que o sol aqui fica o meu desejo que a felicidade do mundo te chegue toda, que nunca precises de ficar triste e que sonhes, sonhes muito pois o mundo fica de outra cor quando sonhamos e quando eu for velhinha ajuda-me a sonhar, pois parece que ao longo do caminho me fui esquecendo de como isso se faz!
Até sempre filha minha não de sangue mas de coração!

sábado, 14 de agosto de 2010

Nostalgia

Saber-te comigo e ao mesmo tempo fisicamente distante, esta a tarzer-me algum sentimento de nostalgia quase a rondar a solidão.
Deve haver alguma razão para tanto desencontro
Tudo isto deve ter uma razão para acontecer
Nada mais posso fazer se não aguardar...entretanto vou andando agarrada ao telele qual teenager à espera da próxima sms..

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Um amor antigo...

De uma forma geral todas as pessoas amam nem que seja uma vez na vida, não significa no entanto que consigam viver esse amor.

Hoje reencontrei um grande amor feito de desencontros, foi com espanto que constatei que o sentimento nunca morreu.

Este amor de que eu falo aconteceu na minha vida ai pelos meus 19 , 20 anos, era um amigo querido que virou namorado, não me orgulho de dizer que o troquei pelo seu maior amigo achando que estava a fazer o que o meu coração mandava na altura e na realidade até estava.

Ao longo dos 9 anos que durou a minha relação nada pouco ou nada soube desta pessoas que respeitando a minha decisão se afastou dando-me espaço para ser feliz com a minha escolha.

Quando esta minha relação chegou ao fim, talves de forma egoista entrei em contacto com ele, acho que nessa altura precisava de alguem que me acarinhasse , me elogiasse e o que tive foi muito mais que isso, foi alguem que 9 anos passados olhou para mim com um carinho tremendo nos olhos e me disse..." à 9 anos que espero este telefone...queria dizer-te que te amo..", ali se iniciou um novo relacionamento entre nós os dois, desta vez com algumas circunstancias diferentes pois ele tinha um relacionamento do quela estava a ter dificuldades em sair, durou uns meses esta situação que acabou por me desgastar e no dia que ele me disse estou livre eu respondi..agora é tarde...mais uma vez nos separamos, desta vez para estarmos mais 10 anos sem nada saber um do outro.

Em Julho de 2008 curiosamente após um novo terminar de um relacionamento meu ele aparece sob a forma de sms, encontramos-nos uma unica vez, de novo vi o amor no seu olhar, ele disse-me que tinha um relacionamento e eu percebi que não era feliz, com medo, por pura cobardia não dei nem mais um passo na sua direcçaõ, ocasionalmente trocavamos sms , foi assim que soube que ia ter um filho e aqui fui eu que me afastei de vez.

Hoje ele reapareceu, tem um filho saudavel e vive com a mãe do filho e na segunda sms que me amndou deixou transparecer todo o grande sentimento que por mim tem, fez-me sonhar, pediu para me ver, diz que quer estar comigo, perguntei-lhe onde isso nos levaria, respondeu..." onde o coração nos mandar..", perante tamanha grandiosidade não consegui dizer não a um reencontro, alias quero este reencontro..

Que partidas nos prega esta vida que nos faz tropeçar um no outro , mas nunca quando estamos livres...é uma filha da putice...