sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Quando chegamos ao fundo dos fundos..

Quando chegamos ao fundo, quando batemos mesmo no fundo e achamos que não temos força para subir, para nos içarmos para um outro estado de espirito percebemos a ténue linha que separa a sanidade da insanidade e percebemos que o equilibrio reside no que acreditamos, no uso que fazemos das palavras que as pessoas de uma forma geral nos dirigem.
Hoje uma amiga disse-me que à mais de um ano não me ve sorrir nem gargalhar como me era habitual, diz ela que estou a definhar, é capaz de ter razão, acreditei no que me dizias, na esperança que me fizeste acalentar ao longo deste tempo que tudo se iria compor , em menos de 8 dias tomei conciencia da realidade, do que realmente se passa na tua vida e consequentemente na minha e nada é como disseste que seria, criaste expectativas, fizeste promessas, mantiveste-me presa a um sonho que um dia sonhamos a dois so que te esqueceste de me dizer que já tinhas deixado de o sonhar...
Nem para falar verdade és homem que chegue, mentiste, enrolaste, enganaste e nunca foste capaz de o assumir, nunca foste capaz de pedir desculpa por todo o mal que me fizeste. Um dia disseste-me que tinhas sido a melhor coisa que me tinha acontecido na vida e ficaste admirado quando te disse, sim foste a melhor mas também a pior...será assim tão dificil de entenderes?

1 comentário:

lin disse...

I get much in your theme really gowns with sleeves thank your very much i will come every day