segunda-feira, 29 de junho de 2009

Operação Stop....

"Priiiiiiiiiiiiiiiii" faz o policia com o seu apito e ao mesmo tempo levanta a mão direita para que percebamos sem marge para duvida que é para encostar...
Abeirando-se da janela do jeep diz:
" - Boa noiti"
Ao que respondemos ao cumprimento com um sorriso
Diz ele:
" - Bebeu ?"
Resposta do condutor :
"- Bebi"
Pergunta o policia..
" - E bibeu muito?"
Resposta do condutor:
" - Não, nem por isso"
Pergunta o Policia:
" - Bibeu o quê?
Resposta do condutor:
" - Duas cervejinhas e 1 wiski"
Resposta do policia:
"Muito bem, podi seguir"
Os policias aqui são crentes...crentes e não têm balões...
Srs policias de Portugal, queiram fazer o favor de seguir o exemplo dos irmãos Angolanos, se o pessoal diz que bebe pouco é porque bebe pouco, não há necessidade de cofirmação!

Praia de Santo António






Uma das maravilhas desta terra linda são as suas praias, a sua água quentinha que faz as minhas delicias!

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Gostei deste tronco...

Coisas

Hoje está aqui um dia lindo, o calor é de morrer, especialmente aqui no sitio onde partem a pedra.
Por aqui ainda estamos no Inverno que eles chamam de cacimbo, o verão esse so chega em Outubro, com o calor que faz no Inverno nem dá para imaginar o calor do Verão.
Há por aqui muita policia nas estradas, mandam parar todos os camiões, o objectivo é "complementar" o ordenado que ao que sei é baixo comas "gasosas" que os condutores dão para não terem problema. Mas como os policias estão a pé, há muitos condutores que literalmente "fintam" os policias e continuam o seu caminho sem parar, o engraçado é que os policias ao contrario de ficarem zangados riem-se desalmadamente!
A comida por aqui é muito boa, já comi de tudo, funge ou como lhe chamam aqui pirão que é uma massa de farinha, galinha com gingumba ( que ´amendoim mas mais pequeno e mais redondo e bem mais saberoso que o nosso), moamba, bifes e marisco que tem um sabor inigualavel.
Imaginem que por aqui a gasolina e o gasoleo são muito baratos o gasoleo custa 29 centimos na nossa moeda e a gasolina 40 centimos, o problema é que so existem duas bombas numa cidade com muitos, muitos carros, as filas para abastecer são de mais de 10 carros.
Se me perguntassem o que eu acharia imprescindivel para vir para aqui diria paciencia!
Aqui o lema é deixa para amanhã o que podes fazer hoje e nunca há problema,ou melhor dizendo não tem "maca" na expressão que aqui muito se utiliza.
Acho que isto se prende com o facto de aqui ara a maioria da população so dias sucedem-se, as expectativas de melhorar a vida não poucas ou praticamente nulas, então vai-se vivendo, no entanto o povo é festeiro e alegre, por onde se passa há musica no ar e sempre alguem a dar um pezinho de dança, poucos são so que olham os brancos de frente, olhos nos olhos, mesmo os mais novos que já nasceram livres do colonialismo, a subserviência é impressionante.
O branco manda, o preto trabalha e por vezes já refila mas pouco, ainda :)

segunda-feira, 22 de junho de 2009

O Caranguejo..


Esta foi a minha paparoca de ontem À noite e tava tao bom...

A Cuca...


A famosa cuca e um prato de ginguba À minha chegada a Benguela, nao se vé na foto porque era de noite mas estava mesmo em frente ao mar!

Benguela


A viagem de Luanda para Benguela de avião dura cerca de 35 minutos, foi uma viagem tranquila, sem grandes sobressaltos , o avião era até bastante simpatico, não era nenhuma chocolateira velha como me tinham avisado que poderia ser, quem sabe tive sorte. Aterramos no aeroporto da Camtumbela que é um aeroporto militar e que aguardava a nossa chegada para fechar as portas naquele dia, a foto ilustra o que se ve quando se sai do aeroporto, o que me fez lembrar Porto Santo, engraçado as coisas que associamos, ali esperai um pouco pela minha boleia que não tardou em chegar.
Viemos para Benguela, tudo em Benguela lembra o tempo colonial, as casas, as ruas tudo, não é dificil imaginar os portugueses aqui a vierem com as suas familias.
Benguela fica à beira mar, tem um mar lindo em vários tons de azul, e embora aqui seja Inverno, o calor é abafador e a praia convida ao mergulho ainda para mais porque a água é quentinha :)
Mais uma vez por aqui impera a terra, tudo precisa de ser alcatroado e os passeios precisam de calçada nova ( felizmente para mim :)), são bem visiveis as marcas da guerra.
A maioria da população aqui vive em grande pobreza, existem grandes mercados onde tudo se pode vender e comprar
Logo logo continuo:)

sábado, 20 de junho de 2009

O primeiro bichinho...



Aqui fica uma foto do "bichinho" que me levou pelas ruas de Luanda, quem me conhece sabe o quanto gsoto de carros para todo o terreno, sorte a minha que por aqui abundam...

De Lisboa a Luanda

Parti de Lisboa com destino a Luanda às 22.10 do dia 17 de Junho, esperava-me uma viagem de 7.30 H, voei na Tap e tenho de confessar que as hospedeiras desse voo deixaram muito a desejar à simpatia, sorriso foi coisa que nunca vi no rosto de nenhuma delas, valeu os companheiros de viagem, todos eles já com experiencia na coisa. Cada vez que um ouvia que era a minha primeira incursão por Angola olhava para mim e dizia...tenho a certeza que vai gostar... eu limitava-me a sorrir perante essa frase, pois essa era a unica certeza com que parti, que ia gostar!

Conversei um pouco, dormitei outro tanto, comi e quando dei por mim estava a aterrar em terras d'Africa, o bafo com que se leva ao sair do avião é descomunal e não é muito lembrar que eram 6 da manhã e estavam 22 graus, as o ar é quente e quase pesado.

Depois veio a fila para vistoriar o visto, e meus amigos, qualquer fila em que tenham estado em Portugal não é nada comparadas com estas e ao que parece até tive sorte porque o nosso vooo foi o unico daquela hora, nem quero imaginar o que seria com outro voo em simultaneo.

Sair para a rua foi outra aventura...não há palavras que descrevam a quantidade de gente que te cerca para saber se é preciso levar as malas, se precisas de taxi ( os taxis vão ser pano para mangas em um outro post), "madrinha" é o nome por que te tratam, derrepente vi-me cheia de afilhados!

À minha espera tinha um miudo que n devia ter 18 anos, depois com ele esperamos pela chegada de um capitão do exercito Angolano que seria quem me iria acampanhar pela manhã, este não tardou em chegar e levou-me até um militar da força aérea e foram os meus cicerones numa visita guiada pela manhã à cidade de Luanda, acho qu por mais que se leia ninguem está preparado para ver e entrar por esta cidade adentro, é preciso não esquecer que Luanda tem quase 7 milhões de habitantes! E todos eles devem ter carro, rsrsrs, o trânsito é qualquer coisa de infernal, minha rica IC19 :)e mais, eles desconechem o que é sinalização, digo desconhecem porque nenhum cumpre, ele é ultrapassagens pela direita, eles até parecem surgir do nada...e quando menos esperas lá estão eles a rasparem por ti....impressionante!

A meio da manhã, paramos para tomar um café e espanto meu quando entro na pastelaria, tudo lá era igual a lisboa, os bolos, os cafés, os chás, tudo, tudo igual, tive a sensação de estar a entrar numa daquelas pastelarias da baixa!

Gostei de passear por Luanda, emora seja iand auma cidade com muitas mazelas da guerra, é acolhedora e quente, tem um chão de cor de fogo, impressionou-me!
Por hoje fico-me por aqui, amanhã tentarei por em dia os posts em atraso!

sábado, 13 de junho de 2009

Divagações..

Tou a olhar a mala e a não conseguir perceber como lá vai caber tudo o que quero levar...terei de levar outra...?
...o fundo está coberto por livros...

quarta-feira, 10 de junho de 2009

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Partir..

Nunca me considerei uma pessoa com a capacidade de sacrificio necessária a quem emigra.
Partir para um qualquer ponto do globo sem ter data de regresso é algo que sempre me fez muita confusão, dai talvés advenha o meu respeito pelos emigrantes.

Quis a vida dar-me uma oportunidade de me ausentar do meu país Natal rumo a um país que à muito anseio por conhecer, Angola.
Parto com a certeza que regressarei em 2 meses, partirei de novo mas sempre com a certeza de um regresso às origens, isto fez-me aceitar o desafio lançado, isto e não só.
As razões para a partida são varias entre elas o meu sonho de conhecer Angola, o poder misturar-me com gentes com costumes e tradições diferentes dos meus, o ir realizar um trabalho novo, eu gosto de desafios, também parto com a esperança de deixar para trás tudo o que de menos bom me aconteceu no ultimo ano, parto com a esperança que esqueço e serei esquecida, parto para tenar minimizar algumas comunicações, parto esperando que a distancia fisica me ajude.
Parto sobretudo para tentar alcançar uma paz de espirito que teima em fugir-me